Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

há Dias assim...

Há dias históricos, banais, marcantes, deprimentes, excelentes, maus, magníficos, secantes, fantásticos, desinteressantes e, quiçá, bons. E depois também há Dias assim... Se gosta de Dias assim, parabéns. Está no blog certo.

Há dias históricos, banais, marcantes, deprimentes, excelentes, maus, magníficos, secantes, fantásticos, desinteressantes e, quiçá, bons. E depois também há Dias assim... Se gosta de Dias assim, parabéns. Está no blog certo.

há Dias assim...

14
Out06

Chegou o Inverno.

delta_unit

(Eu sei que o Inverno ainda não chegou, mas ficava bem no título.)

Tal como nós, meros mortais, quando a temperatura desce, vestimos o casaquinho e andamos mais agasalhados, também este blog mudou de cara, vestindo-se com uns tons mais escuros. Um pouco também à imagem do que cá se escreve (É tudo coisa que não merece estar nas luzes da ribalta!), este blog está agora em tons de cinza, sendo de certa forma uma homenagem à floresta da minha terra natal.

Por outro lado, finalmente mudei o título do blog, à semelhança do que tinha sido prometido recentemente pela minha pessoa...

Enfim, caros colegas... há Dias assim...

14
Out06

Ah, monotonia...

delta_unit

Todos caímos nesta situação. Todos, sem excepção! Há sempre um momento na nossa vida em que tudo se torna monótono e sem novidades. Tudo é igual, e só varia segundo o ritmo do quotidiano. Mas do monótono nem o José Castelo Branco gosta, quanto mais o ser humano!

A verdade é que todos nós temos um esquema para fugirmos à monotonia. Uns praticam desporto, outros tornam-se bloggers e ainda há os outros, os que pegam na sua arma de estimação e vão até ao BES de Setúbal... Tudo isto para combater a monotonia que, a qualquer momento, pode marcar a nossa vida.

Uma das formas mais utilizadas pelas senhoras deste mundo para combater o quotidiano é, sem dúvida, ir às compras! Mas para manter este esquema vivo, é sempre necessário ter algum dinheiro disponível, pois de outra forma os senhores da Zara e da Bershka dispensam a visita...

Desta forma, e segundo a agência Reuters, uma senhora espanhola, certamente para alimentar o seu esquema de combate à vida monótona, engendrou um outro cujo objectivo era arrancar dinheiro ao marido. E reparem como este esquema tem duas facetas: Por um lado, obtém o dinheiro que quer. Mas, por outro, também ajuda o seu filho a fugir à monotonia! Mas que mãe dedicada!

"Mas que raio fazia essa senhora?", perguntam-se vocês... Eu respondo: Ela simulava raptos do seu próprio filho! Ou seja: Pegava no seu filho, levava-o para um sítio erme e escuro e pedia-lhe para ligar ao papá a implorar-lhe que pagasse o que os raptores pediam. O pai, coitado, lá pagava e o dinheiro ia parar directamente ao bolso da mãe do rapaz, divorciada do pai, que o gastava, enquanto que alguém levava o filho de volta à casa do pai.

É sem dúvida um esquema simples e bastante fácil de montar: Basta conseguir convencer o filho a fazer o dito telefonema ao pai. E, claro, convém ter pais ricos... Ou então ganhar a lotaria... Só não convém é ir ao BES de Setúbal!

A verdade é que o senhor, cujo nome não consta na notícia, mas que, sendo espanhol, não andará muito longe de um "José" ou "Juan", pagou o resgate três vezes... Mas à quarta desconfiou e contratou um detective! E foi o detective, um autêntico Sherlock Holmes, que desvendou a história! É uma pena... A senhora e mais cinco cúmplices foram detidos, incluíndo o próprio filho do casal divorciado, de 15 anitos. Coitado do rapaz... Já não pode brincar com o papá por telefone e vai logo preso! Mas, ao menos, vai preso com a sua PlayStation Portátil, certamente oferecida pela mãe após o primeiro rapto.

Ora, o rapaz de 15 anos é que já devia ter isto no sangue... Estou a imaginá-lo à conversa com os amigos: "Pessoal, passem lá por casa hoje para jogarmos um cadito de futebol... Pode ser que na PlayStation o Real Madrid consiga ganhar ao Lyon!! Mas apareçam só depois das 18, porque a minha mãe pediu-me se me podia raptar hoje, às 14..."

Já a mãe, quando ia ao centro comercial e gostava de um casaco de peles qualquer, devia ter uma conversa muito parecida com esta com a senhora do balcão:

-"Quanto custa este casaco?"

-"874.99€, minha senhora... É feita de pele raríssima!" - Responderá certamente o empregado. Mas aí a senhora responde.

-"Ah, 'tá bem... Deixe-me ir raptar o meu filho e depois já cá passo..."

 

Se fosse o outro senhor, certamente diria: "Deixe-me ir buscar dinheiro ali ao BES de Setúbal e depois já cá passo..."

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2005
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2004
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D