Quarta-feira, 29 de Outubro de 2008
"É como andar de bicicleta."

Uma das expressões que mais gosto na nossa cultura é a que defende que andar de bicicleta nunca se esquece.

"Então, pá? Isso é como andar de bicicleta: nunca se esquece!"

Quem é que disse que nunca ninguém se esquece de como se anda de bicicleta?

Venha de lá esse pensador que temos de ter uma conversa longa!

 

Pensem em José Azevedo: O homem já acabou o Tour de France em 5º lugar.

Mas não conseguiu, três anos depois, ganhar a Volta a Portugal.

Acham mesmo que ele não se esqueceu de como se anda de bicicleta?

 

Mas andar de bicicleta é giro. E devia estar mais na moda.

É uma ideia peregrina (não que esta vá para Fátima a pé), e com a recente escalada do preço do petróleo, o assunto voltou à tona: Porque é que na cidade não se anda mais de bicicleta?

Na verdade, é só vantagens: Não se gasta dinheiro em combustível e não se perde tempo em filas de trânsito.

Para além da manutenção da forma. Se a Valentina Torres fosse de bicicleta para os estúdios da SIC, não estaria tão balofa.

 

Eu não ando de bicicleta porque moro próximo do meu local de estudo. Tão próximo que vou a pé.

Mas se morasse um pouquinho mais longe, naquele limiar que já roça o incómodo em ir a pé e, ao mesmo tempo, ainda é um desperdício comprar o passe do Metro... Será que ia de bicicleta?

Ia, pois!

Se até o Armstrong, com apenas um testículo, conseguiu ganhar o Tour 7 vezes seguidas, porque é que eu, munido de duas gónadas, não conseguiria fazer uns quilómetros por dia?

 

No entanto, as mulheres já não dizem o mesmo...

Segundo um estudo do Reino Unido, as mulheres não andam de bicicleta pois não podem chegar ao trabalho todas suadas.

(O estudo, claro, não é meu. É de alguém, e está apresentado neste belo e cativante sítio da internet.)

É, sem dúvida, um bom motivo.

Eu próprio defendo isso também. Mulheres suadas a trabalhar, não, por favor.

Mas... Não será possível andar de bicicleta sem suar?

Azar o nosso, bolas. Moramos todos no fundo do vale, e o nosso escritório fica sempre no cume da montanha ali ao lado.

 

O que eu acho é que as mulheres britânicas não gostam de bicicletas.

Mas a bicicleta é um veículo simpático, acreditem!

Vamos ali de cabelos ao vento e tal...

Ah, bolas... Esqueçam, mulheres. Outro dos motivos apresentados pelas senhoras britânicas para não andarem de bicicleta é o facto de o capacete de segurança lhes estragar o penteado.

O que é estranho, se pensarmos em Paula Bobone, por exemplo.

O próprio cabelo de Bobone parece um capacete. Não percebo qual é o problema.

 

Mas sim, o penteado é uma coisa importante.

Houvessem bicicletas com um secador de cabeleireiro e um sofá para nos sentarmos e as mulheres já deixavam o carro em casa.

No entanto, 19% das inquiridas neste estudo afirma que não podem ir para o emprego de bicicleta pois não podem correr o risco de serem vistas pelos seus colegas sem maquilhagem.

 

E penso que os colegas delas agradecem.

Pois se dependem assim tanto da maquilhagem para parecerem bem, os colegas delas não devem desejar ver a cara real delas.

Mas se forem a Lili Caneças... Nesse caso, não se incomodem. São feias de qualquer forma.


há tanta coisa gira para fazer neste mundo, mas o Dias optou por escrever isto pois não tinha nenhuma amiga com ele e encontrava-se: Ciclista de circunstância.
enquanto o Dias escreveu este artigo, apesar de pequenas, as suas orelhas ouviram isto: Fiona Apple - Oh Sailor


Por acaso não estava a dormir, mas...

...essas pessoas que deixam o telemóvel desbloqueado e telefonam para os outros à meia noite, sem que estes reconheçam o seu número, deviam ter mais cuidado.

Especialmente quando estão a andar de carro e a ouvir a música "Numb", dos Linkin Park, em plena Rádio Comercial.

 

E mais não digo.


há tanta coisa gira para fazer neste mundo, mas o Dias optou por escrever isto pois não tinha nenhuma amiga com ele e encontrava-se: Sem saber quem era.
enquanto o Dias escreveu este artigo, apesar de pequenas, as suas orelhas ouviram isto: Albert Hammond Jr. - Feed Me Jack


Sexta-feira, 24 de Outubro de 2008
Um estrondo de sabor!

Ao longo de largos meses tenho levantado esta questão junto de muitos amigos: Qual é a melhor profissão do mundo?

Pode parecer que tem uma resposta fácil, mas não tem.

Eu não procuro apenas uma ocupação agradável, como a vida de um enólogo.

Não. Eu quero mesmo aquele emprego perfeito.

 

Eu aposto uma profissão: repórter do canal de cabo Travel Channel.

Basicamente, uma pessoa com esta profissão anda a passear pelo mundo inteiro, sendo altamente bem recebido em todos os hotéis (para que estes tenham boa publicidade da parte do repórter), e, para tornar isto num cúmulo, é pago para isso!

Desafio-vos então: encontram alguma profissão melhor que esta?

 

Mas não é de profissões que vos queria falar hoje.

Já repararam na quantidade de snacks e cereais de pequeno-almoço que apresentam este aviso na zona dos ingredientes: "Pode conter vestígios de amendoim e outros frutos secos de casca rija"?

Porque é que numa barra de chocolate Crunch podem surgir vestígios de amendoim e outros frutos secos?

E porque é que eles não tem mais cuidadinho com o processo de fabrico?

Se nós quiséssemos comer barras de cereais, não comiamos Crunch, bolas!

 

O que eu acho é que os senhores que trabalham nas fábricas de Crunch são, na verdade, portugueses.

Daqueles portugueses que gostam de beber cerveja e de ter como aperitivo o belo do fruto da Arachis Hypogaea, o amendoim.

E, como bons portugueses que são, fazem-no durante o horário de expediente, por cima dos enormes recipientes de confecção do dito chocolate, deixando cair uns pedaços de amendoim ocasionalmente.

 

"Vamos começar a comer amendoins fora do nosso horário de trabalho, para manter a qualidade das nossas barras de chocolate?"

"Não, pá! Vamos é por um aviso nas embalagens! O que achaste do Benfica ontem?"

 

E é aqui que eu, brilhantemente modesto, faço a ligação entre o tema deste artigo e a sua introdução: Para o português comum, não poderá ser "supervisor de produção da Nestlé" a melhor profissão do mundo?

 

Beber cerveja e comer amendoins o dia inteiro, comentando futebol... Muitos devem sonhar com isto.

E depois há os que falam apenas de futebol, parecendo que, embriagados, falam de amendoins. Mas não foi para falar do Rui Santos que redigi este artigo.


há tanta coisa gira para fazer neste mundo, mas o Dias optou por escrever isto pois não tinha nenhuma amiga com ele e encontrava-se: Benfiquista.
enquanto o Dias escreveu este artigo, apesar de pequenas, as suas orelhas ouviram isto: Os Pontos Negros - Armada de Pau


Quarta-feira, 22 de Outubro de 2008
Respeitem os sentimentos do malmequer!

Muitos serão aqueles que me lêem que poderão achar que a existência da People for the Ethical Treatment of Animals (PETA) é, por si só, idiota.

E eu revelo-lhe, estimado leitor: Até acho um certo exagero nesta Associação.

Tudo bem, os toiros não têm que andar a levar com ferrinhos nas costas.

Mas se um dia me pedirem para defender a existência da mosca tsé-tsé, deixem-me rir primeiro antes de pensar no que quer que seja.

 

É verdade que os animaizinhos merecem uma existência digna.

Os cães, por exemplo, merecem viver como cães que são, comendo Pedigree e indo buscar o osso quando o atiramos para longe.

E, acima de tudo, merecem viver sem aquelas camisolinhas parvas que alguns seres humanos lhes decidem vestir.

 

No entanto, o que diremos acerca das plantas: também devemos defender a sua existência?

Um carvalho, um sobreiro, tudo bem.

E... Um Pinho? O caro leitor defende a existência de Pinhos, sei lá, no Ministério da Economia?

Preparem-se então para a nova inquietação do governo suíço.

(A notícia, claro, tinha de ter uma ligação neste artigo.)

 

O governo suíço tem vindo a debruçar-se sobre uma questão fulcral para a sociedade do século XXI: a dignidade da vegetação.

E, de facto, esta questão é essencial.

A vegetação gosta de ser vegetação, e não gosta de ser confundida!

Abaixo com essa gente que cria tofu a partir de soja!

A soja é soja, e ponto final.

 

Por um lado, é importante a defesa das espécies vegetais em risco.

Mas... Será que o governo suíço está preocupado com as ervas banais?

O espinafre, por exemplo, está a ser considerado por esta malta?

Se há vegetal que, neste momento, vive uma situação estável, esse vegetal é o espinafre.

Longe vão os tempos em que Popeye, para salvar a Humanidade de Brutus, ameaçava a continuidade do espinafre enquanto ser vivo.

 

A meu ver, a malta da Suíça gostava era de ter água salgada.

E, como não a tem, vai-se entretendo com estes assuntos de extrema irrelevância, enquanto nós debatemos as reformas no sector das pescas.

 

Ou isso ou então estes helvéticos andaram a ouvir Bob Marley em demasia, tornando-se amigos eternos da erva.

Mas não quero acreditar nisso.

Não quero acreditar que na nossa Europa existam líderes políticos viciados em fumar e que, por exemplo, não aguentam um vôo até ao Brasil sem acenderem uns cigarrinhos dentro do avião, contrariando assim a Lei do Tabaco.

Não quero crer nisso.


há tanta coisa gira para fazer neste mundo, mas o Dias optou por escrever isto pois não tinha nenhuma amiga com ele e encontrava-se: Com pena do malmequer.
enquanto o Dias escreveu este artigo, apesar de pequenas, as suas orelhas ouviram isto: Ben Folds - You Don't Know Me (Feat. Regina Spektor)


Segunda-feira, 20 de Outubro de 2008
Enquanto não roerem a prancha, tudo bem.

Longe vão os tempos da expressão "desde que vi um porco a andar de bicicleta que já acredito em tudo".

Porque, na verdade, ver suínos a praticar ciclismo não é de todo novidade.

Afinal, quem anda no ciclismo e usa doping estará mais próximo da raça suína que da humana...

E todos os anos se houve falar em malta dopada.

 

Não, caros leitores: ver animais a fazerem coisas humanas não é de todo novidade.

E se não acreditam no que vos digo, atentem na notícia que hoje vos apresento, e cujo link se encontra neste texto corrido, em sublinhado azul.

(Vale a pena seguirem o link, principalmente pelas imagens que ilustram a notícia.)

 

No Hawaii, o jovem Boomer Hodel, de 14 anos, ensinou os seus dois ratos de estimação a fazer surf.

Sem dúvida, excelente ideia a de Boomer!

Porque um ratinho, com uma prancha a condizer, não incomoda tanto os outros banhistas.

 

Eu acho que esta ideia tem sentido.

Aliás, tem mais sentido um rato em cima de uma prancha de surf que um tigre a saltar no Circo Chen.

Ou toiros a levarem com ferros no lombo, no Campo Pequeno.

Ou então o Macaco Adriano do Big Show SIC.

(Se, por um lado, seria chocante que aquilo fosse um macaco real, não deixa de ser inquietante pensar que havia uma pessoa debaixo daquele fato. Ainda assim, ao pé do João Baião, a coisa passava...)

 

Está na hora de criar um legião de ratos surfistas!

Poderá, sem dúvida, ser o hype do novo século.

Já estou a imaginar os ratos surfistas na areia, vestidos com as suas t-shirts da Billabong, totalmente despenteados e a ouvir Jack Johnson.

É disto que o mundo precisa!

 

Porque o ser humano surfista já não tem piada.

É apenas um ser humano, que se põe em cima da prancha e vai desfrutar a onda.

Agora um rato surfista... Isso sim, é novidade!

E as ratazanas, sentadas na areia com os seus óculos escuros e t-shirts brancas por cima do fato-de-banho, a babarem-se para os ratos que dominam as ondas?

 

Sem dúvida, um mercado promissor.

Estou em crer que Boomer Hodel será visto, futuramente, como um pioneiro da arte de domesticação de ratos.

No entanto, enquanto esses tempos não chegarem, será visto apenas como um jovem com demasiado tempo livre.


há tanta coisa gira para fazer neste mundo, mas o Dias optou por escrever isto pois não tinha nenhuma amiga com ele e encontrava-se: Sem nada para ensinar a ratos.
enquanto o Dias escreveu este artigo, apesar de pequenas, as suas orelhas ouviram isto: Sigur Rós - Ára Bátur


'sussure alguma coisa ao ouvido do Dias:

'se quer saber onde raio anda o tal artigo que ouviu falar, procure aqui:
 
'Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
16
17
18

19
21
23
25

26
27
28
30
31


'apesar de frequentarem blogs muito maus, o Dias sugere-vos estes:
'coisas muito mal escritas, mas bastante recentes

' Sem título.

' E se eu não tivesse tempo...

' O nome "Vigor" pode mesmo...

' O fim das bolachas Maria.

' Se está farto de mulheres...

' Adorar vacas pode, afinal...

' Eles não gostam de nós.

' Não leia isto para bebés.

' Levante o pé.

' Contem-me uma melhor.

' Alto e pára o baile!

' Um casamento garante-te n...

' Já que a Bolsa não dá nad...

' Um dia não me lembrarei d...

' "Olha, queres uma pastilh...

' Uma Sueca em vez de Solit...

' É tudo uma questão de tem...

' Caros Leitores

' Isto desconcentra os deus...

' Vai um copo?

'porque um blog com um arquivo é sempre uma coisa muito gira
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


blogs SAPO
'subscrever feeds