Quarta-feira, 15 de Outubro de 2008
Como comprar um apoiante.

Declaro aqui solenemente que se a Câmara Municipal de Vila de Rei conseguir colocar estes senhores no próximo cartaz do Rock na Vila, eu nunca mais farei observações políticas de dimensão municipal neste singelo estaminé.

(Nem mesmo sobre o ridículo que é Festa dos Solteiros.)

 

 

Chamam-se "Os Pontos Negros" e o myspace deles está neste link.

 

Vá, têm quase um ano para fazerem o milagre.


há tanta coisa gira para fazer neste mundo, mas o Dias optou por escrever isto pois não tinha nenhuma amiga com ele e encontrava-se: A ouvir boa música.
enquanto o Dias escreveu este artigo, apesar de pequenas, as suas orelhas ouviram isto: Os Pontos Negros - Tempos de Glória


Segunda-feira, 13 de Outubro de 2008
Se amanhã o Sol não brilhar, não se assustem.

Caros leitores, sabiam que o dia de amanhã será histórico?

14 de Outubro de 2008 ficará para a História, e nenhum de nós tem a noção disso.

Felizmente, o Daily Star existe para nos dar estas informações importantes.

(Sigam a luz, perdão, a ligação para a notícia.)

 

Amanhã, a Terra será visitada por extra-terrestres!

Sim, caros leitores, a história repete-se: pela 98234ª vez, uns lunáticos quaisquer na internet dizem-nos que os vizinhos do espaço vêm cá fazer-nos uma visitinha.

 

E agora, como é que me visto?

É motivo para tirar o blazer do cabide e arranjar o cabelo?

Ou os extra-terrestres são daquele tipo de amigos junto dos quais não é preciso fazer cerimónia?

Ajudem-me, caros viciados em cannabis... Perdão! Entusiastas por extra-terrestres!

 

Eu não tenho estado muito a par dos dias anteriores de aparições de extra-terrestres... Lembro-me de ouvir falar da febre do movimento raeliano e assim, mas nada de muito aprofundado.

Assim sendo, pergunto:

- Como é esta malta que nasce lá fora?

- Preferem vinho ou cerveja à refeição?

- São benfiquistas?

- E será que acham o José Castelo Branco normal?

 

A grande novidade dos extra-terrestres que nos visitam amanhã é o propósito da visita.

Vêm destruir a Humanidade, para depois aproveitarem-se do pouco que resta deste planeta?

Ou vêm buscar uns exemplares de Homo Sapiens Sapiens para estudarem mais tarde em casa deles?

Vêm reclamar com o facto de estarmos a emitir a TVI para o espaço?

 

Não.

Vêm espalhar o amor.

Vêm ajudar-nos a entrar numa nova vibração do amor.

 

Assim sim, vale a pena acolher extra-terrestres cá em casa!

É que o Kamasutra já tem pouco para ensinar...

E depois de todas aquelas posições, só mesmo um ET para nos mostrar o passo seguinte.

 

Virão eles em naves espaciais com o formato de coração?

Sinceramente, não sei.

Mas acredito que haja alguém no YouTube a profetizar isso, tendo uma boa musiquinha de trance como fundo.

 

14 de Outubro ficará na História.

Pena que eu vá fazer uma coisa que esta malta entusiasta por extra-terrestres desconhece: trabalhar.

(Nuno Lopes, faz o teu sketch junto desta malta.)

Como tal, se algum dos que me lê vai estar amanhã a espreitar o Céu, à espera que os amigos do Robbie Williams venham cá, deixo um pedido:

Se tiverem a sorte de falar com um extra-terrestre, perguntem-lhe em quem é que ele vota: Obama ou McCain.

É que essa resposta não é óbvia: Eles irão votar em quem melhor conhecem, mas se por um lado, Obama tem umas orelhas de outro mundo, já o McCain tem idade de quem estava cá no dia em que a Terra foi colonizada por eles...


há tanta coisa gira para fazer neste mundo, mas o Dias optou por escrever isto pois não tinha nenhuma amiga com ele e encontrava-se: Sem cannabis em mim.
enquanto o Dias escreveu este artigo, apesar de pequenas, as suas orelhas ouviram isto: Dead Combo - Mr. Eastwood


Terça-feira, 7 de Outubro de 2008
A estupidez omnimodamente.

Apraz-me encetar o presente artigo asseverando-vos que sustento um singular fascínio pela nossa língua.

Não se constata pela antecedente frase?

 

É verdade, eu tenho o dicionário da Priberam nos gadgets da minha sidebar do Windows Vista.

Porque às vezes gosto de usar palavras diferentes ou então porque Cavaco Silva, de vez em quando, fala sobre a democracia.

 

Mas a minha paixão pela língua portuguesa fica-se por aí.

Recorro ao dicionário apenas quando necessito, e não por passatempo.

Ammon Shea não pode dizer o mesmo em relação à sua língua materna.

(O já habitual link para a notícia, numa palavra ao acaso.)

 

O britânico Ammon Shea leu o Dicionário Inglês de Oxford (composto por 20 volumes) em apenas um ano!

Não merecerá este senhor um prémio internacional?

Algo como "Prémio Nobel do Combate à Vida Social"?

 

Um dicionário é como um termómetro.

Está ali guardadinho, e só se usa quando precisamos.

Para quê controlarmos a nossa temperatura diariamente se não bebemos leite chinês com melamina?

 

Também no dicionário a questão se coloca: Para quê lê-lo de uma ponta à outra se ninguém usa a palavra "omnimodamente"?

(Repararam na forma perspicaz como eu, ao dizer que ninguém usa uma determinada palavra, acabei por utilizá-la? Mas não a utilizei dentro do seu contexto, como é óbvio. Querem saber o que significa, querem?(1))

 

Sem dúvida, o senhor Shea tem um problema qualquer.

E diz ele que, com esta sua aventura pelo mundo da definição, perdeu a capacidade de conversar normalmente, pois esquece-se por vezes de palavras como "pão" ou "sapatos".

E eu sinto o mesmo quando consulto o dicionário.

Neste momento, por exemplo, quero adjectivar Ammon Shea e não me lembro do melhor termo.

Deixem-me pensar mais um bocadinho...

Ah, já me lembrei!

Idiota.

 

Mas, no fundo, tal como Rui Gameiro certamente preconizará, Ammon Shea é a consequência do meio em que se insere.

Não o tivessem obrigado a ler as Fábulas de La Fontaine em menos de um dia e hoje este senhor só lia o Daily Mirror.

 

Caros leitores, aguardem mais uns tempos e em Portugal também teremos o nosso Ammon Shea.

Basta continuarmos a obrigar os estudantes a lerem Os Maias em menos de uma semana.

 

(1) Se está curioso acerca da palavra "omnimodamente", cuidado. Está a desenvolver a curiosidade de Ammon Shea, logo a sua vida social corre perigo. E eu não quero ser culpado por isso. Depois não diga que eu não lhe avisei omnimodamente.


há tanta coisa gira para fazer neste mundo, mas o Dias optou por escrever isto pois não tinha nenhuma amiga com ele e encontrava-se: Sem definição possível.
enquanto o Dias escreveu este artigo, apesar de pequenas, as suas orelhas ouviram isto: Os Pontos Negros - Doutor Preciso de Ajuda


Quarta-feira, 1 de Outubro de 2008
Já fez o seu?

Sento-me em frente ao computador, abro o site de gestão deste singelo blog, carrego no link que diz "Novo Post" e penso para mim: Está na hora de trabalhar.

Pode parecer um exagero isto. Este artigo: Trabalho?

Eu próprio não acho que isto seja trabalho, confesso-vos... Mas se até Cláudio Ramos se apresenta como "um excelente profissional" quando comenta as fofoquices da TV Guia, porque não posso eu considerar este artigo uma valente empreitada sob o ponto de vista intelectual?

 

Ainda assim, convenhamos: trabalho é coisa que só um grupo restrito desempenha.

Com o desemprego a aumentar e a função pública a funcionar como sempre, é óbvio que há muita gente neste país que não faz nada.

 

O problema é que há muitos que não trabalham, mas queriam trabalhar, e outros que dizem que trabalham e, na verdade, passam o dia a ler coisas na internet. A ler blogs, sei lá.

 

É dos que procuram trabalho que eu vos vou falar hoje.

E isto porque quem procura emprego redige sempre o seu currículo.

Mas... Serão todos os currículos sinceros?

Ou será que há quem entre nós se diga engenheiro sem o ser?

Se estão nessa situação, o Partido Socialista é a vossa solução.

(Isto rima e tudo!)

E São Bento, a vossa futura morada. Vá, toca a alistarem-se nos rosas...

 

O estudo foi feito pelo careerbuilder.com, e desta vez o link para a fonte deste artigo nem se encontra entre parêntesis.

Este belo estudo apresenta-nos um conjunto de adulterações que apareceram nos curriculos de alguns pretendentes norte-americanos a empregos interessantes.

Coisas como: "Eu sou membro da família Kennedy."

 

Logo aqui algo se impõe: para quê adulterar um currículo?

Eu sei que pode haver quem entre nós tenha o azar de ter no seu currículo "Licenciatura em Filosofia".

Mas... Porque não hão-de colocar isso no currículo quando concorrem para trabalhar nas caixas do Modelo?

 

Certo, tudo bem, há que adulterar o currículo de vez em quando.

Se, na realidade, muitos de nós fingem que trabalham, porque é que não hão-de fingir também o seu currículo?

O chato é quando dizem que tiveram experiência militar numa data anterior ao seu nascimento, tal como o estudo do careerbuilder.com nos apresenta...

É um problema que só esta geração nova tem.

Já malta como o Mário Soares, pode perfeitamente dizer que andou a combater as tropas de Junot durante a Guerra Peninsular.

Mesmo que não tenha andado, a sua idade permite tal inverdade.

E as suas bochechas também.

 

Mas o careerbuilder.com, como site de referência que é (ou então não é, mas achei engraçado usar esta expressão agora), deixa-nos alguns conselhos para a redacção do nosso currículo.

E um deles apela à nossa honestidade.

Eu acho bonito isto.

Especialmente se estiverem a concorrer para um lugar na administração de uma gasolineira.

Eu sei que não gostam de dizer que, durante a vossa infância, roubaram chocolates na loja de conveniência do vosso bairro.

Mas, acreditem: a direcção da gasolineira irá gostar de saber que vocês já têm experiência na actividade que irão desempenhar.

 

Sejam honestos.


há tanta coisa gira para fazer neste mundo, mas o Dias optou por escrever isto pois não tinha nenhuma amiga com ele e encontrava-se: Bem.
enquanto o Dias escreveu este artigo, apesar de pequenas, as suas orelhas ouviram isto: Mogwai - Hunted By a Freak


'sussure alguma coisa ao ouvido do Dias:

'se quer saber onde raio anda o tal artigo que ouviu falar, procure aqui:
 
'Outubro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
16
17
18

19
21
23
25

26
27
28
30
31


'apesar de frequentarem blogs muito maus, o Dias sugere-vos estes:
'coisas muito mal escritas, mas bastante recentes

' Sem título.

' E se eu não tivesse tempo...

' O nome "Vigor" pode mesmo...

' O fim das bolachas Maria.

' Se está farto de mulheres...

' Adorar vacas pode, afinal...

' Eles não gostam de nós.

' Não leia isto para bebés.

' Levante o pé.

' Contem-me uma melhor.

' Alto e pára o baile!

' Um casamento garante-te n...

' Já que a Bolsa não dá nad...

' Um dia não me lembrarei d...

' "Olha, queres uma pastilh...

' Uma Sueca em vez de Solit...

' É tudo uma questão de tem...

' Caros Leitores

' Isto desconcentra os deus...

' Vai um copo?

'porque um blog com um arquivo é sempre uma coisa muito gira
2009:

 J F M A M J J A S O N D


2008:

 J F M A M J J A S O N D


2007:

 J F M A M J J A S O N D


2006:

 J F M A M J J A S O N D


2005:

 J F M A M J J A S O N D


2004:

 J F M A M J J A S O N D


blogs SAPO
'subscrever feeds