Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

há Dias assim...

Há dias históricos, banais, marcantes, deprimentes, excelentes, maus, magníficos, secantes, fantásticos, desinteressantes e, quiçá, bons. E depois também há Dias assim... Se gosta de Dias assim, parabéns. Está no blog certo.

Há dias históricos, banais, marcantes, deprimentes, excelentes, maus, magníficos, secantes, fantásticos, desinteressantes e, quiçá, bons. E depois também há Dias assim... Se gosta de Dias assim, parabéns. Está no blog certo.

há Dias assim...

09
Jan06

Um blog ao serviço da sociedade...

delta_unit
É assim que quero que o meu blog fique conhecido: Um blog de serviço público!
Como tal, este é mais um artigo com informações sempre úteis a qualquer hora do dia.

Todos nós convivemos com o stress no dia-a-dia!! Quantos de nós já se viram numa fila de trânsito, mesmo estando com imensa pressa? Quantos de nós já estiveram numa estação do Metro a ouvir a música da Madonna? Quantos de nós já fizeram exames?
Enfim... Todos nós fazemos coisas que nos conduzem a um estado de profundo stress!!!

Para combater o stress têm surgido imensas teorias, como a de ouvir um CD com o som das baleias a comunicar entre elas ou beber whisky, mas recentemente surgiu aquela que me parece ser a forma mais eficaz de combater o stress!
Como? Simples... Dizendo o nome "Fred"!

Segundo o senhor David L. Mocknick, o diminuitivo do nome "Frederico", de origem germânica, têm poderes curativos!
À volta desta teoria, este senhor escreveu o livro "Who's Fred, Ha!: Silly, but Fun Stress Relief", editado pela Clear Brook.

A teoria é a seguinte:
Estamos à conversa com alguém e, cum catano, estamos num estado de stress que vai piorando com o tempo! Como é que acabamos com o stress? Simples... Fazemos com que a outra pessoa diga uma palavra que rime com "Fred".

Nota: É aqui que surge o primeiro problema na tradução para português desta notícia: Não existem muitas palavras portuguesas que rimem com "Fred". Como tal, vamos aqui traduzir esta teoria para português e recorrer ao nome "João". Mas fiquem com a ideia: Em inglês usa-se Fred!!!

Após esta correcção, vou continuar com a história...
Fazendo com que a pessoa diga uma palavra que rime com, em português, "João". Supondo que a outra pessoa diz "agora apetece-me comer pão!". Neste caso, a pessoa stressada deve dizer "Pão! João! Quem é o João? Hah!!!"
(Deprimente, parece-me...)

No entanto, o senhor Mocknick, de 47 anos, assumiu que isto não tem nada de científico. Não admira...
Mas, diz ele, que já viu isto funcionar!

A teoria "Fredding" é, admitido pelo criador, bastante estranha, e o próprio recomenda a não se utilizar tal coisa num primeiro encontro. Parece-me sensata esta observação...
E, diz ele também, abusar deste conceito pode deixar transparecer uma imagem de depressivo mental... Mas, e este pormenor delicia-me, "O que interessa é que livramo-nos do stress!!"

Eu, sinceramente, vou começar a usar isto (na versão portuguesa), inclusivé no texto corrido do meu blog... Não (Não! João! Quem é o João?! Hah!!!!) obstante, estou de acordo que isto tem o seu lado potencialmente nocivo...
Suponhamos que vamos a uma entrevista para concorrer a um emprego.

-"Ouvi dizer que o senhor era formado em gestão..."
-"GESTÃO! JOÃO! QUEM É O JOÃO?! HAH!!"
-"Desculpe, mas eu ainda não tinha acabado de formular a questão..."
-"QUESTÃO! JOÃO! QUEM É O JOÃO?! HAH!!"
-"Está a sentir-se bem?"
-"Estou estou... Era só para aliviar o stress..."
-"E então?"
-"ENTÃO! JOÃO! QUEM É O JOÃO?! HAH!!"
-"Segurança, por favor... Venha aqui deter este indivíduo..."

Mas, sem dúvida, para acabar com o stress neste país, nada melhor do que colocar um segundo jornalista a apresentar os noticiários das 20 horas, e sempre que o jornalista que estava a apresentar as notícias usasse uma palavra terminada em "ão", o outro aplicava a teoria Fredding- versão João! Algo do estilo...

-"Boa Noite! O secretário geral do Partido Socialista fez hoje uma declaração..."
-"DECLARAÇÃO! JOÃO! QUEM É O JOÃO?! HAH!!"
-"Onde apelou ao voto em Mário Soares. José Sócrates quis, assim, cumprir os seus deveres partidários, dizendo à população..."
-"POPULAÇÃO! JOÃO! QUEM É O JOÃO?! HAH!!"
-"Que 'Mário Soares é um pouco mais pesado que um elefante-anão'."
-"ELEFANTE ANÃO! JOÃO! QUEM É O JOÃO?! HAH!!"

(Mas que referência ao elefante-anão foi esta? Existe mesmo essa espécie?)

Mas, falando muito a sério, vou ver se começo a usar isto no meu dia-a-dia!

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2005
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2004
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D