Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

há Dias assim...

Há dias históricos, banais, marcantes, deprimentes, excelentes, maus, magníficos, secantes, fantásticos, desinteressantes e, quiçá, bons. E depois também há Dias assim... Se gosta de Dias assim, parabéns. Está no blog certo.

Há dias históricos, banais, marcantes, deprimentes, excelentes, maus, magníficos, secantes, fantásticos, desinteressantes e, quiçá, bons. E depois também há Dias assim... Se gosta de Dias assim, parabéns. Está no blog certo.

há Dias assim...

08
Jul07

Resposta ao comentário de Jaquim.

delta_unit

No último dia 10 de Junho, em pleno Dia de Portugal, escrevi aqui um artigo com o nome "O Zé Povinho em estado puro.", onde analisava uma observação de um indignado da nossa comunidade durante uma reportagem televisiva.

 

É com espanto que reparo que no sábado, 7 de Julho, Jaquim comentou esse meu artigo. E comentou-o de forma indignada, ou não se apresentasse ele como Jaquim, nome típico de um elemento do por mim intitulado "Zé Povinho em estado puro."

 

E Jaquim começa por perguntar-me se eu quero comparar "uma licença para conduzir em que uma pessoa necessita de adequirir e possuir conhecimentos e aptidões, com uma licença para acampar?"

(Observação: Caro Jaquim, se vir bem no dicionário, escreve-se "adquirir"... Ah, mas esqueça. Para si, ir ao dicionário já deve ser, por si só, um acto exageradamente burocrático.)

Não, caro Jaquim! Nunca tal coisa me passou pela cabeça! Até porque para acampar não é preciso saber nada, rigorosamente nada! Aliás, basta olhar para o lixo espalhado pelo Pinhal de Leiria e para a degradação das nossas dunas, causadas pela actividade humana, para concluir que todos nós, portugueses, sabemos perfeitamente como acampar correctamente!

A sério, Jaquim, o senhor tem razão. uma licença para acampar é claramente um exagero burocrático. Não se percebe como é que num país que todos os anos é sobejamente afectado por incêndios, ainda é preciso uma licença para acampar que incite o titular da licença a uma maior responsabilidade, bem como a uma mais fácil identificação por parte das autoridades no caso de alguma ocorrência fora do normal na zona onde este acampe...

 

E Jaquim continua a sua cascata de indignação:
"Portugal é uma monumental montanha de papelada e borucracia fedorenta que so serve para atropelar e irritar as pessoas"

Engraçado: É impressão minha ou quando vou ao wikipedia.org e procuro por Portugal, concluo que o sistema político do nosso país não é a Anarquia?

Concordo, no entanto, que Portugal é uma monumental montanha de papelada, especialmente nas fábricas de papel.

Mas, mesmo quando o comum cidadão procura fazer alguma coisa, há realmente imensos processos burocráticos. Convido, no entanto, Jaquim a analisar: Não acha que essa montanha de papelada é necessária para ter um controlo sustentável do nosso país?

O que eu acho, muito sinceramente, é que o comum funcionário público não faz essa papelada correr os gabinetes que precisa de correr a uma velocidade útil, e é nessa perda de tempo que tudo se arrasta e o "Zé Povinho" afirma, indignado e com razão, que o país é demasiado burocrático.

 

O comentário continua até que, num determinado ponto, Jaquim pergunta-me em particular:

"voce ó amigo ou deve ser otario ou entao tb come na mesma mesa desses cães que nos afogam com papeis e impostos."

Ora, como os meus pais não são mamíferos pinípedes da família dos Otariídeos e eu não vivo nos mares do hemisfério sul, depreendo que otário eu não sou.

Devo então, segundo as hipóteses que Jaquim me dá, comer "na mesma mesa desses cães que nos afogam com papéis e impostos."

Não, caro Jaquim, não como nessa mesa... Como numa mesa bem grande, por acaso, mas em granito, e geralmente acompanhado pela minha mãe e pelo resto da família quando está cá por casa. Noutras alturas do ano, como em mesas de centros comerciais e restaurantes, e na loucura também como no comboio.
Agora comer em locais onde cães também o fazem, com todo o respeito caro Jaquim, talvez deva ser você que o faz... Não me leve a mal, mas a analisar a forma como escreve, você deve ter muito tempo passado ao lado de seres que apenas nos dizem "ão ão"...

  

[Quanto à imagem deste artigo, escolhi a que no início se encontra porque foi o primeiro resultado que me apareceu quando procurei por Jaquim no Google...]

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2005
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2004
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D