Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

há Dias assim...

Há dias históricos, banais, marcantes, deprimentes, excelentes, maus, magníficos, secantes, fantásticos, desinteressantes e, quiçá, bons. E depois também há Dias assim... Se gosta de Dias assim, parabéns. Está no blog certo.

Há dias históricos, banais, marcantes, deprimentes, excelentes, maus, magníficos, secantes, fantásticos, desinteressantes e, quiçá, bons. E depois também há Dias assim... Se gosta de Dias assim, parabéns. Está no blog certo.

há Dias assim...

02
Jun08

Porque no avião é para comer bem.

delta_unit

 

Não sou vegetariano, confesso. No entanto, tenho experimentado ultimamente os pratos dessa bela cozinha. E têm-me convencido bastante até!

Mas, sou franco convosco: nada como um bom bife de vez em quando para agradar as papilas gustativas.

Não há tofu ou seitan que substitua o belo pedaço de bife. “Da vazia, se faz favor.

 

Porque a carne é nutritiva e alimenta-nos decentemente. E porque se o homem descobriu o fogo, não foi para grelhar alface.

 

E o bife, não sei se sabem, até é a especialidade nacional dos ingleses.

(Se calhar não é, mas convém que o seja, por momentos, para que este artigo tenha sentido.)

No entanto, caros amigos de confraria que tanto gostam bife, a British Airways, criada no país dos bifes, está a retirar do menu de voo os pratos com bife. Os bifes estão a ser substituídos por peixe e frango. (Eis a notícia.)

E isto porquê? Porque as pessoas da religião Hindu não comem bife.

Isto pode explicar o porquê de os hindus, de vez em quando, andarem a bater com a cabeça no chão. Se eu não comesse bife, faria o mesmo por frustração.

 

Mas a British Airways, atenta ao mercado indiano, decidiu retirar do seu menu o bife. Porque a boa estratégia de marketing está sempre atenta aos hábitos dos potenciais clientes.

O bom marketing é assim, amigos! Se um dia a British Airways quiser apostar no mercado português, colcará uma cervejinha fresquinha no menu.

E para agradar Elsa Raposo ser-lhe-á colocado também um preservativo no tabuleiro.

 

Eu sou contra esta medida, caros leitores. Respeito todas as crenças e religiões.

E acho importante que os hindus tenham a opção de ter frango no avião, tal como a Selecção Portuguesa de Futebol tem ao viajar com o Rui Patrício na comitiva.

Mas isso não pode chocar com a liberdade (ou, quiçá, necessidade) que a sociedade do mundo ocidental tem em comer muita proteína quando está sentada. Senão vejamos:

Quando se vai ao futebol, o que é que se come ao intervalo?

Uma bifana, pois claro.

Para depois nos sentarmos e digerirmos aquilo tudo muito bem.

No avião, a necessidade é a mesma. Se vamos ali tanto tempo sentados, porque não empanturrarmo-nos com um belo bife?

 

É lógico, leitores.

As necessidades do ser humano relativamente à alimentação são muito lineares.

Se virem bem, aquelas pessoas que depois do trabalho acabam o dia no sofá a ver televisão e a beber cerveja comem sempre muitos hambúrgueres e muita carne.

Já a malta que pratica exercício físico e que faz jogging todos os dias por alturas do lusco-fusco… Esses constumam comer a bela da saladinha.

 

Não somos nós a espécie mais coerente do mundo?

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2009
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2008
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2007
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2006
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2005
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2004
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D